Obesidade: Um problema de peso! Como virar esse jogo!

A obesidade, também chamada de nediez, ou pimelose, é uma doença multifatoral e crônica caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal no indivíduo. Para o diagnóstico em adultos, o parâmetro utilizado mais comumente é o do índice de massa corporal (IMC).
O IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado.

TABELA COMPARATIVA ENTRE IMC E OBESIDADE

O Brasil tem cerca de 18 milhões de pessoas consideradas obesas. Somando o total de indivíduos acima do peso, o montante chega a 70 milhões.
O obeso tem mais propensão a desenvolver problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Pacientes obesos apresentam limitações de movimento, tendem a ser contaminados com fungos e outras infecções de pele em suas dobras de gordura, podendo ser algumas vezes graves. A obesidade sobrecarrega a coluna e membros inferiores.

Na criança e no adolescente, os critérios diagnósticos dependem da comparação do peso do paciente com curvas padronizadas, em que estão expressos os valores normais de peso e altura para a idade exata do paciente.

Estudos mais recentes dos diferentes tipos de tecido adiposo têm demonstrado, por exemplo, que a obesidade central (em forma de maçã, tipicamente masculina) tem uma correlação muito superior à doença cardiovascular que o IMC por si só.

CLASSIFICAÇÃO DA OBESIDADE DE ACORDO COM SUAS CAUSAS:

• Obesidade por Distúrbio Nutricional

• Obesidade por Inatividade Física

• Obesidade Secundária a Alterações Endócrinas

• Obesidades Secundárias

• Obesidades de Causa Genética

A avaliação médica do paciente obeso deve incluir uma história e um exame clínico detalhados e, de acordo com essa avaliação, o médico irá investigar ou não as diversas causas do distúrbio. Se o paciente apresentar “apenas” obesidade, o médico deverá proceder a uma avaliação laboratorial mínima, incluindo hemograma, creatinina, glicemia de jejum, ácido úrico, colesterol total e HDL, triglicerídeos e exame comum de urina.

TRATAMENTO

O tratamento da obesidade envolve a reeducação alimentar que consiste em consumir alimentos menos calóricos, maior ingestão de alimentos ricos em fibras e respeito aos horários das refeições.

O aumento da atividade física visando gastar a energia acumulada do organismo na forma de gordura e, eventualmente, o uso de algumas medicações auxiliares.  Porém, mais difícil do que perder peso, é manter o peso reduzido.

Para os casos mais graves, pode ser recomendada também a cirurgia bariátrica, especialmente para quem possui o IMC acima de 35 e também ter doenças associadas à obesidade, e para os que têm IMC acima de 40 e não conseguem emagrecer com outros tratamentos.

Em todos os casos, o acompanhamento médico regular é fundamental.

 

O EXERCÍCIO APRESENTA VÁRIOS BENEFÍCIOS PARA O PACIENTE OBESO, ENTRE ELES:

• Diminuição do apetite;

• Aumento da ação da insulina;

• Melhora do perfil de gordura;

• Melhora da sensação de bem-estar e auto-estima.

 

 

Uma dieta saudável deve ser incentivada desde a infância e deve estar incluída em princípios de vida saudável, no qual se incluem a atividade física, o lazer, os relacionamentos afetivos adequados e uma estrutura familiar organizada.

DISPONIBILIZAMOS VÁRIOS ATIVOS QUE PODEM AJUDAR A PERDER E MANTER O PESO ESTABILIZADO.
CONSULTE UM PROFISSIONAL DA ÁREA DA SAÚDE.

 

Patrícia Padilha – CRF/Pr 14.600

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *